Vou adoptar um cão, e agora?

       Partilhámos convosco dicas para quem vai adoptar um gato, por isso agora tínhamos mesmo de partilhar dicas para quem vai adoptar um cão. Até porque adoptar um cão traz muito mais responsabilidades, inclusivamente em termos legais, e muitas pessoas ignoram estas questões. Assim, com este artigo, pretendemos chamar a atenção para vários factores que devem ter em mente quando colocam um patudo, para a vida toda, em vossa casa.

vida de pet+ blogue de animais de estimação + blogue português + pedro e telma
       Há que ter em consciência, se adoptamos um cão bebé, que o seu porte vai aumentar. Teremos que saber que este será um amor para a vida toda que não poderemos defraudar por ter crescido mais do que o que esperávamos. Há que fazer pesquisas, conhecer o progenitor e progenitora para, mais ou menos, percebermos o que nos espera o futuro. Mais uma vez, não nos cansamos de alertar para que tenham consciência quando adoptam um animal. Se tiverem realmente dispostos a partilhar a vida com estes seres de quatro patas com o coração do tamanho do mundo, então temos várias dicas para partilhar convosco.

Alimentação:

        Nem sempre o alimento mais caro é o melhor. Mais tarde iremos abordar este tema em específico, mas por agora queríamos somente alertar para o facto de estes patudos merecerem variedade de comida, mas com consciência do que precisam. Há, inclusivamente, vários dos alimentos que nós comemos que eles também podem comer, desde que não tenham tempero. O que têm que saber obrigatoriamente é que há também alimentos que nós costumamos comer que os podem levar à morte, como o chocolate ou as uvas, por exemplo.

Higiene oral:

        A saúde oral é um factor muito, muito importante a ter em conta. Regra geral, quem adopta um cão julga que o importante é dar-lhe um "dentastickx" (passando aqui uma publicidade à Pedigree por ser o artigo mais conhecido), que promete limpar cáries e prevenir o tártaro. Mas e se vos dissermos que o caule dos brócolos ou uma cenoura também serve para esse efeito, por exemplo? E que não tem as componentes menos boas que pode ter o produto antes referido se dado com muita regularidade. A maioria dos cães sofrem de problemas dentários na sua velhice, pelo que é relevante que se comece a tratar deste assunto desde pequenos. E não é preciso grandes cuidados, somente o de, além de escolhermos com consciência a sua alimentação, passarmos com uma escova de dentes (que nem precisa de ter pasta de dentes para cães) vai retirar os restos de comida que possam ficar a prejudicar a sua dentição. Por último, o conselho que vos podemos dar, que os cães mais vão gostar, é o de lhes darem ossos de pele de vaca ou outros próprios para o efeito, que é a opção mais deliciosa para eles.


vida de pet+ blogue de animais de estimação + blogue português + pedro e telma

Brinquedos:

        Para que mantenham cães activos e saudáveis, é importante que incentivem a que explorem as suas vontades primárias, que dependem da raça de cada um. Não é ao acaso que alguns cães são ditos caçadores, outros farejadores etc. É mesmo uma realidade que pode facilmente ser pesquisada para que os possam satisfazer da melhor forma. Brincando durante mais tempo com os que precisam de gastar mais energia, e deixar relaxar os que preferem a preguiça. Regra geral, todos gostam de caçar, pelo que os brinquedos onde colocam comida que vai saindo consoante a forma como os cães brincam são excelentes para os manterem animados, felizes e realizados, além de alimentados. Além do referido, os brinquedos também podem ser uma excelente forma de educar os caninos...

Bebedouros e comedouros:

        Quando compram um bebedouro/ comedouro, tenham em atenção o porte do animal. Muitas pessoas dão comida num tupperware ou num prato, mas os cães têm que se curvar demasiado para comer, o que não lhes faz bem. Ou então o oposto, em que há raças pequenas que não se devem esticar demasiado. Há taças vendidas já com elevatória consoante o tamanho do animal. Ah! E saibam também que o cão tende a comer demasiado rápido a comida, o que pode levá-lo a ter graves problemas de saúde e inclusivamente levá-lo à morte em casos estremos. Tenham então em atenção e não os deixem comer demasiado rápido, quase em soluço. Há comedouros que têm furos que não os permitem comer rápido, por exemplo. Há sempre solução! Outra dica que podemos dar é que não deixem a comida sempre ao alcance deles se os querem com rotinas de deslocação ao wc. Para quem lhes quer transmitir horários, então é importante que estabeleçam também horários para refeição. Além disso, devem medir a comida que dão consoante o peso e não os deixar comer até não terem mais vontade, pois será bastante mais difícil tirar-lhes a comida por terem problemas de obesidade... 


vida de pet+ blogue de animais de estimação + blogue português + pedro e telma

Cama:

         Ao contrário dos gatos, que escolhem um pouso em qualquer parte da casa, os cães tendem a dormir num mesmo espaço, pelo que é importante terem uma cama para eles, mesmo que queiram, como nós, dormir à noite com os pestinhas na mesma cama. Nós temos uma cama na cozinha, para quando a Chiclet espera que os cozinhados acabem e durma a sesta, mas também temos na sala, para quando assistimos a um filme (se bem que ela nos escolha muitas vezes a nós como cama dela). 

Coleira e trela:

        A opção de andar com a coleira em casa é geradora de controvérsia. Já a exigência de trela não deixa margens para dúvidas, num passeio fora de casa, pelo que terão que decidir-se a usar coleira ou peitoral. Nós preferimos usar uma coleira na Chiclet e não retiramos, pois é lá que está presa uma chapa com o nosso contacto para o caso de ela se perder e alguém a encontrar. O que podemos aconselhar é que façam o mesmo, pois por vezes os animais assustam-se e perdem-se e não há meios para contactar ou saber se existem os donos sem o leitor de chip.
       É importante que desde o primeiro passeio vocês se mostrem como o líder da matilha e os comecem a corrigir desde os primeiros passos dados em conjunto. Terão que ser vocês os primeiros a entrar ou sair de um local; o cão não deve andar atrás ou à frente do seu adoptante, mas ao seu lado. Lembrem-se que no seu habitat natural, eles também devem seguir um líder da matilha, que, neste caso, devem ser vocês.


vida de pet+ blogue de animais de estimação + blogue português + pedro e telma

Questões legais:

        A vacina anti-rábica, a da raiva, é obrigatória por lei. É também obrigatório que nos façamos acompanhar do boletim de vacinas devidamente preenchido, aquando do passeio com o nosso melhor amigo. A relembrar ainda que existem várias vacinas que devem ser facultadas para que os possamos proteger da melhor forma, que facilmente serão aconselhadas pelos respectivos veterinários.
        O micro-chip é uma pequena cápsula inserida sob a pele do patudo que tem um número exclusivo que regista o animal no nome do seu tutor. Uma folha será para o veterinário, uma cópia para o tutor e outra deve ser entregue na Junta de Freguesia. Caso não entreguem a folha de registo, então dificilmente podem provar que o animal é vosso se o vizinho o conseguir apanhar e disser que fica com ele. Que isto seja um incentivo para que registem os animais, já que, mesmo sendo obrigatório por lei, muitas pessoas ignoram e quem sofre são os animais.
         O registo e licença do animal é também de cariz obrigatório, sendo que os cães considerados de raça perigosa terão mais requisitos que os demais, já que são obrigatórios cursos de educação, por exemplo.
        O uso de açaime é obrigatório para todos os cães de raça considerada perigosa, sendo ainda necessário que exista um seguro. 


        Lembrem-se que não devem deixar que um cão bebé use os dentes, mesmo que na brincadeira, para vos morder. Lembrem-se que em grandes podem ferir acidentalmente crianças ou adultos. Recordem-se também de lhes dar uma rotina se querem que eles tenham a rotina de fazer as necessidades fora de casa. Não basta ir passeá-los uma vez ao dia. Também nós vamos várias vezes por dia ao wc. Por fim, queríamos acrescentar que ter um cão é mesmo uma responsabilidade para o resto da vida. É uma aprendizagem constante, mas é também termos o nosso melhor amigo, que nos vai amar sempre incondicionalmente, aconteça o que acontecer. Dêem-lhes amor, porque o cão dará todo o amor do mundo. Afinal, eles têm uma vida mais curta porque já nascem a saber o que nós levamos uma vida inteira a aprender: a amar verdadeira e incondicionalmente para toda a vida!

Que outros conselhos dariam a quem vai adoptar um patudo?
vida de pet+ blogue de animais de estimação + blogue português + pedro e telma

Sem comentários

Comentem com dúvidas, opiniões, novas ideias e sugestões e não deixem de partilhar também as vossas histórias. Responderemos assim que possível.

Com tecnologia do Blogger.